últimas

do blog - Dicas

Mestre de obras conheça as responsabilidades desse profissional na obra

Toda obra antes de ser iniciada deve ser planejada. Assim, todo um roteiro é organizado para a execução de um empreendimento, e também são definidos os prazos de como tudo deve ocorrer até a entrega.

Engenheiros, arquitetos, pedreiros, eletricistas, pintores, paisagistas, decoradores, são alguns dos profissionais envolvidos na construção. Mas, você sabia que o mestre de obras é o profissional responsável para que a obra seja executada conforme o prazo preestabelecido? Isso mesmo, é o mestre de obras quem coordena o processo de construção, ele é o responsável pela fiscalização da construção do início ao fim das obras.

Por isso, é necessário que esse profissional conheça e controle todas as etapas do projeto, pois o mestre de obras será como uma ‘ponte’ entre engenheiros e arquitetos e os outros profissionais envolvidos na construção, como os pedreiros, encanadores, pintores, eletricistas etc.

Na obra, algumas das responsabilidades do mestre de obras são: analisar as instruções técnicas do projeto com outros profissionais como os engenheiros e arquitetos e repassar aos profissionais envolvidos nas etapas da construção, formar a equipe, distribuir as tarefas e acompanhar o desenvolvimento das mesmas, auxiliar na instalação do canteiro de obras, controlar todo o material da obra incluindo a entrada e a saída, gerir os resíduos e diminuir o impacto no meio ambiente, evitar o desperdício cuidando para que as perdas sejam as menores possíveis, monitorar os padrões de qualidade, garantir que a equipe utilize os equipamentos de proteção individual e coletiva, manter seus superiores informados sobre o andamento do projeto.

Outra responsabilidade do mestre de obras é coordenar toda a equipe e mediar os conflitos que ocorrem na obra, e que aliás não são raros, costumam ocorrer diariamente. Podem ser divergências que ocorrem devido a chuvas, temporais, ventos fortes e movimentações do solo, assim como desentendimentos entre os colaboradores. Portanto, ele precisa estar preparado para lidar e resolver essas situações da melhor forma possível, analisando e avaliando o contexto geral, para tomar a melhor decisão, por isso é imprescindível que esse profissional seja um líder e tenha uma boa comunicação com a sua equipe. Para que isso seja possível, o mestre de obras deve ouvir a sua equipe, pedir opiniões e traçar planos viáveis. Construir ocorre em conjunto, então se faz necessário que a equipe seja a mais harmônica possível.

O mestre de obras precisa ser de caráter íntegro, imparcial e agir de forma ética, pois toda equipe tende a se espelhar em seu líder.  

Conhecendo os tipos de pavimentação

Hoje vamos falar sobre os tipos de pavimentação.

Pavimentar consiste em sobrepor camadas na base horizontal, assim elevando a durabilidade e facilitando o tráfego de veículos e pedestres.

As pavimentações podem ser flexíveis, semirrígidas ou rígidas.

Antes de escolher um tipo de pavimentação, se faz necessário conhecer um pouco sobre cada um deles.

A pavimentação flexível é constituída de bases granulares e revestimento asfáltico, ela acaba por ir se moldando conforme a carga exercida sobre ela, se adaptando as deformações naturais do terreno.

A pavimentação semirrígida tem uma base cimentada e revestimento flexível (asfalto), apresentando um nível de deformação intermediário, superior à deformação da pavimentação flexível, e inferior à deformação da do tipo rígido, que falaremos a seguir.

A pavimentação rígida é constituída de placas de concreto, e é o tipo de pavimentação que apresenta as menores exigências de manutenção, pois não deforma e é o tipo que menos se degrada com o uso.

Não existe uma regra de qual tipo de pavimentos deve ser utilizado, seja nas vias urbanas ou nas estradas. Então, entre outros aspectos, deve-se considerar principalmente as características geotécnicas e geométricas.

Por exigir menores investimentos para a execução, o pavimento flexível (asfalto) acaba sendo a alternativa em grande parte das situações, além do mais,    esse tipo de pavimento traz uma maior facilidade de manutenção, já que permite a restauração apenas no local afetado. Se a pavimentação for bem projetada e também bem executada, é capaz de suportar adequadamente o tráfego de uma via pública, mesmo sendo necessário reparos frequentes. E, caso seja necessária uma remoção total, esse material poderá ser reciclado.

Em vias onde o tráfego de veículos pesados é maior e que, portanto, está mais sujeita a deformações, o mais indicado seria a pavimentação semirrígida. Pois, o custo de execução é menor do que do tipo rígido, assim como também apresenta maior facilidade de implantação e de manutenção se comparada ao rígido. E, além do mais, a pavimentação semirrígida também permite a reciclagem.

Já a pavimentação do tipo rígido, é a solução para locais com grandes cargas estáticas e pontos de frenagem. Possui alta resistência à ação de combustíveis e óleos liberados pelos veículos. Esse tipo de pavimentação possui os custos mais elevados de implantação e não possibilita a manutenção, portanto em caso de problemas, toda a placa de concreto deverá ser substituída. Caso seja necessária essa remoção, o material deve ser descartado adequadamente, pois uma vez que o concreto estará misturado com óleo e graxa, não poderá ser reciclado.

Agora que você já conhece os tipos de pavimentos, escolha muito bem a empresa que lhe atenderá antes de iniciar a execução do seu projeto, escolha quem trabalha com materiais de qualidade e profissionais capacitados!

 

 

Quais cuidados devem ser tomados em uma obra

Ao falar de obras já começamos a pensar em prazos, não é mesmo? Talvez o que você ainda não tenha parado para pensar, é que existem uma série de fatores que podem influenciar no cumprimento desse prazo, entre eles estão os cuidados tomados em uma obra. É isso mesmo, vão desde cuidados especiais até pequenos detalhes que podem influenciar para que as datas predeterminadas sejam cumpridas.

Para tornar possível cumprir os prazos estabelecidos, precisamos prevenir acidentes, evitar desperdícios e principalmente otimizar o tempo.

Ao iniciar o planejamento de qualquer projeto, não se esqueça de considerar o canteiro de obras como parte dessa atividade, aliás, é nele que atuarão os profissionais e onde ficarão armazenados os materiais para que a obra tenha andamento. Então, planeje para o canteiro de obras instalações provisórias para um depósito de materiais e um escritório, assim como também banheiros e alojamento, porque a maior parte do tempo é nesse local que se encontrarão os profissionais envolvidos. 

Com a planta do terreno onde a obra será realizada, pense em um layout que possibilite o trabalho fluir com rapidez e eficiência. O que é necessário para evitar desperdícios e reduzir as possíveis perdas, qual é a melhor disposição física para os equipamentos, onde deixar as matérias-primas e outros materiais, qual a melhor forma de armazenamento de cada um deles e qual é o espaço ideal de circulação para os trabalhadores. Pois, dessa forma será criado um fluxo capaz de reduzir o tempo de circulação em busca do que é necessário a cada etapa da construção.

Falando em reduzir perdas, nessa etapa outro cuidado importante em uma obra, envolve a logística. O fluxo das entregas deve estar de acordo com o espaço que está disponível no canteiro de obras para o armazenamento dos materiais, portanto, se necessário for, combine entregas constantes e pontuais, de forma a não deixar esse material exposto no canteiro, podendo vir a se deteriorar causando prejuízos e aumentando o risco de acidentes. Mas, combine essas entregas de forma a chegarem sempre antes de zerar o material em estoque, para que a obra não seja parada por falta de matéria-prima. 

Sinalizar o canteiro de obras para que todos saibam exatamente onde buscar o material necessário evita perda de tempo. Mas, não basta criar esse fluxo e não manter os caminhos desobstruídos. É preciso envolver a equipe nesse processo, conscientizando-os de recolher resíduos, sucatas e entulhos do chão. Mantendo o caminho livre o impacto irá além do bom andamento da obra, pois também aumentará o cuidado com a saúde e com a segurança de toda a equipe.

Falando em segurança, é importante fornecer, orientar e treinar sobre o uso, assim como também sobre os cuidados de como armazenar e conservar dos EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), conscientizando-os da importância e segurança para todos.

Tomando esses cuidados e planejando o layout do canteiro de obras, se evita desperdício de tempo e de materiais, se cuida da saúde dos profissionais que estando bem terão mais disposição e consequentemente mais rendimento, e assim, se torna possível o cumprimento dos prazos estabelecidos.